Visite-nos
Rua Amazonas, 40 Bairro Santa Inês Três Pontas, MG (saiba como chegar)
Contato: (35) 3265-1041
Liturgia diária
Evangelho: 5ª-feira da 33ª Semana do Tempo Comum
Santo: São Clemente I

NONO DIA

Santa Teresinha e Nossa Senhora

Santa Teresinha foi criada sob o olhar e o manto protetor da Virgem Maria. O véu de Maria foi-lhe sempre lugar de refúgio, pois nele todos os seus filhos podem se esconder , ou repousar, ou mesmo dormir em paz.
Na sua primeira confissão, Santa Teresinha foi aconselhada pelo confessor a ter muita devoção a Maria. Mas isto já estava enraizado nela. As palavras do Padre serviram para um maior entusiasmo.
O mês de maio, a recitação do terço, a Associação das filhas de Maria foram outros meios que despertaram em Santa Teresinha, mais amor e devoção a Nossa Senhora.
O amor de Santa Teresinha a Nossa Senhora foi crescendo, até alcançar o máximo, quando ela chegou ao Carmelo.
No Carmelo, a piedade filial de Santa Teresinha para com Nossa Senhora segue os moldes de seu Pequeno Caminho. Não é apenas uma devoção mariana, mas um relacionamento simples, confiante, abandonado, amoroso de Teresinha nos braços de Nossa Senhora. Dirige-se a Ela em todos os momentos, como uma filha cheia de confiança e segura do poder da Mãe carinhosa e poderosa.
Nos últimos tempos de sua vida, o relacionamento de Teresinha com Nossa Senhora torna-se ainda mais freqüente e mais intenso, mais íntimo, mais profundo.
Podemos dizer que a devoção de Santa Teresinha a Nossa Senhora tem suas características:
– Em primeiro lugar, para Santa Teresinha, Nossa Senhora é mais Mãe do que Rainha. Devoção, sobretudo filial, amorosa, despreocupada, desinteressada. Sem negar a dignidade soberana de Nossa Senhora.
– Em segundo lugar, é uma devoção marcada pela simplicidade. Santa Teresinha não gostava dos pregadores, que para enaltecer Nossa Senhora, colocavam-na a uma elevada distância, inatingível.
Justamente porque a Mãe de Deus, tão excelsa e tão elevada foi tão simples, é que podemos e devemos tomá-la como modelo e protótipo de virtudes em nossa vida. Nosso trato com Maria deve ser revestido de simplicidade, como uma filha que conversa com sua Mãe querida.
– A terceira característica da devoção mariana de Santa Teresinha é a forte confiança em sua intercessão maternal. Santa Teresinha insiste nessa confiança, por causa do papel de Maria no mistério da redenção. Esta confiança deve chegar ao abandono. Por isso Santa Teresinha aconselha-nos a entregarmos nossos pedidos a Maria, porque Ela sabe, melhor do que nós, apresentá-los a Jesus.
– A quarta e última característica da devoção de Santa Teresinha a Nossa Senhora é a constância.
É uma devoção de todos os momentos e em todas as situações. Mesmo quando parece que a Mãe de Deus não lhe dá atenção. Vemos isto, quando estava enferma. Ela recorria a Nossa Senhora com confiança, com filial simplicidade e com total abandono a vontade de Maria. Nos ensinamentos de Teresa encontramos um caminho para aprofundar e renovar a nossa vida mariana sob a luz do Evangelho e da intimidade com Maria. A Virgem Maria, com sua presença, preenche toda a história da Ordem, desde as suas origens no Monte Carmelo.
Ela é, sobretudo, modelo do seguimento de Jesus na fé e na contemplação.