Visite-nos
Rua Amazonas, 40 Bairro Santa Inês Três Pontas, MG (saiba como chegar)
Contato: (35) 3265-1041
Liturgia diária
Evangelho: 5ª-feira da 33ª Semana do Tempo Comum
Santo: São Clemente I

Notícias mosteiro › 15/04/2013

Cerimônia marca término da fase diocesana do processo de beatificação da Serva de Deus Nossa Mãe

Um ano depois

*Documentação levantada pela Comissão Histórica que seguirá para Roma, será lacrada durante cerimônia marcada para o dia 12 de maio, na Matriz Nossa Senhora D’Ajuda. Irmãs carmelitas deixarão a clausura e participarão de mais este momento histórico na vida da igreja trespontana

Denis Pereira – A Voz da Notícia

Há um ano e um mês, Três Pontas respirava a fé, com um milagre divino, de ter nesta terra já abençoada pelo Venerável Padre Victor, mais uma candidata a santa que iniciava o seu processo de beatificação, a Serva de Deus, Madre Tereza Margarida do Coração de Maria, carinhosamente chamada por todos de Nossa Mãe. O processo foi aberto com uma missa solene presidida pelo bispo de Campanha, Dom Diamantino Prata de Carvalho.

As irmãs Carmelitas preparavam, desde que havia chegado de Roma, a licença para a abertura do processo de beatificação de “Nossa Mãe”, em 07 de julho de 2011. A partir daí, a vida das enclausuradas girou em torno disso. Há um mês, a comunidade religiosa fazia uma preparação espiritual, uma vivência da prática das virtudes e ainda mais de oração e silêncio.

O processo de beatificação foi aberto em sessão solene realizada na Matriz Nossa Senhora d’Ajuda em 04 de março. Durante duas horas, os restos mortais da Nossa Mãe, que foram retirados do túmulo do cemitério no dia 26 de fevereiro, ficaram expostos para visitação na igreja. Uma multidão formou filas para passar em frente a urna. Em seguida, uma celebração seguiu um ritual diferente das habituais: no final, os fiéis saíram em procissão até o Carmelo, onde os restos mortais foram colocados no túmulo e a capela inaugurada. O postulador da causa, Dr. Paolo Villota, também participou do ato.

Nesta quarta-feira (10), voltamos a casa das religiosas. Desta vez, ao invés da priora do Carmelo São José, irmã Vânia Maria do Espírito Santo, quem nos recebeu foi a irmã Maria Elisabeth da Trindade que integra a Comissão Histórica, que cuida do processo de beatificação. Além desta, um Tribunal Eclesiástico foi formado. Cada um com cargos e posições definidas dentro da Diocese.

Irmã Maria Elisabeth neste primeiro ano, divide seu tempo entre as atividades comunitárias, a rotina de oração do mosteiro e a missão que considera nobre de recolher todos os escritos da Nossa Mãe.  Os trabalhos estão intensos. É preciso digitá-los, arquivá-los, ouvir testemunhas e separar tudo por sessões. Apesar de terem trabalhado com as relíquias que pertenceram ao Venerável Padre Victor, se dedicar ao processo de beatificação da irmã que foi sua mestra no seu noviciado, é uma coisa tão pura, nobre e muito gratificante. “Estamos finalizando a fase final do que compete a Diocese. Posteriormente, os postuladores da causa vão levar para Roma, na Sagrada Congregação, quando eles começarão a serem analisados. Não há uma data prevista para o início destes trabalhos, onde estudiosos e peritos vão examinar os escritos e as virtudes heróicas, para posteriormente iniciar a análise dos milagres, conta a religiosa.

O que chegar de documentos e correspondências a partir de agora, não será mais incluído no processo, já que a fase está praticamente encerrada. Foram poucos escritos e cartas que foram entregues ao Carmelo São José. A maioria são mensagens deixadas às próprias irmãs, aulas e retiros. Mesmo assim, quem tiver algo que pertenceu a Serva de Deus deve entregar ao Carmelo para que seja exposto no Memorial da Nossa Mãe. Ele tem recebido um número grande de devotos e fiéis, que buscam informações sobre a Madre e seu processo de beatificação. Na Capela onde estão os restos mortais o movimento é intenso. Em silêncio, pessoas de várias idades, de Três Pontas e cidades da região buscam fazer pedidos e agradecer graças atribuídas a Serva de Deus Nossa Mãe. Todos os milagres devem ser registrados, pois podem ajudar no processo de beatificação que oficialmente começa em uma fase importante.

No dia 12 de maio, talvez uma providência divina por ser justamente no dia das Mães, haverá na Matriz Nossa Senhora D’Ajuda, as 16 horas, uma celebração solene de encerramento da fase diocesana do processo de beatificação. Quando então será feita a leitura da ata e os escritos que serão encaminhados para Roma serão lacrados. A cerimônia não será tão solene quanto a abertura, mas será um passo importante e que promete emocionar mais uma vez a Igreja.  As irmãs Carmelitas, assim como na abertura, vão poder participar. A missa será presidida pelo bispo Diamantino, concelebrada por diversos padres e terá a participação de religiosas de outros mosteiros.

História

Madre Tereza Margarida do Coração de Maria, cujo nome de batismo era Maria Luíza, nasceu em 24 de dezembro de 1915, em Borda da Mata. Ela ingressou na vida religiosa aos 22 anos, em Mogi das Cruzes (SP). Ao receber o hábito de noviça, ela recebeu o nome de Tereza Margarida do Coração de Maria. Ela emitiu os votos solenes em fevereiro de 1942. Madre Tereza fundou o Carmelo São José onde viveu durante 43 anos e ficou conhecida por todos como “Nossa Mãe”, pelos atos de caridade.

Na casa religiosa fundada por Madre Tereza e onde ela viveu a maior parte da vida, estão hospedadas diversas monjas vindas de diversos carmelos de Minas Gerais. Nossa Mãe, como é chamada, morreu em novembro de 2005, 40 dias antes de completar 90 anos.

Fonte: Equipe Positiva



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *