Serva de Deus Madre Tereza Margarida Nossa Mãe

Rua Amazonas 40, Bairro Santa Inês - Três Pontas, MG

(35) 3265-1041

Congregação dos santos recebe na próxima semana o processo de beatificação de nossa mãe

*A cerimônia que marcou o fechamento da primeira etapa, a fase diocesana, aconteceu neste domingo (12), quando a documentação foi selada e só será aberta em Roma”

Denis Pereira – A Voz da Notícia

Na próxima semana chega a Roma, a documentação levantada pela Comissão Histórica e pelo Tribunal Eclesiástico formados especialmente para cuidar neste um ano e dois meses do início do processo de beatificação da Madre Tereza Margarida do Coração de Maria, carinhosamente chamada de Nossa Mãe.

O encerramento aconteceu com uma celebração solene neste domingo (12), na Matriz Nossa Senhora d’Ajuda presidida pelo bispo da Diocese da Campanha, Dom Frei Diamantino Prata de Carvalho e concelebrada por padres de Três Pontas e de outras paróquias da Diocese que conviveram com ela, e de Patos de Minas, onde surgiu a fundação das Carmelitas.

A missa teve momentos marcantes como a entrada da imagem de Imaculado Coração de Maria. Ela chegou antes da fundação do Carmelo São José no Município há pouco mais de 50 anos. Aliás, como aconteceu na abertura do processo as irmãs carmelitas deixarão a clausura e participaram deste momento tão especial e particular principalmente às elas que conviveram com uma vida voltada inteiramente a obra e os desígnios de Deus.

Após a benção final é que foi aberta a cerimônia que foi rápida, acompanhada atentamente pelos fiéis. O notário Ronaldo Frigrini fez a leitura da ata e os membros do Tribunal padres Rogério da Silva e Ednaldo Barbosa assinaram toda a documentação e a caixa foi lacrada por Dom Diamantino.

O postulador da causa, o italiano Dr. Paolo Vilotta, responsável por levar a documentação e dar andamento na Congregação para Causa dos Santos explica que o próximo passo agora é registro é a inclusão de um milagre no processo de beatificação. “Após um ano e dois meses com a fase romana, com o documento entregue ele é aberto e feito um estudo sobre a validade jurídica, é feito um pedido para nomeação de um relator; é feito o resumo da documentação presquisada em Três Pontas em um livro que será posteriormente entregue aos teólogos para o estudo das virtudes da Serva de Deus Nossa Mãe, em seguida segue para os cardeais e bispos e o Papa Francisco decreta a Venerabilidade como foi feito com Padre Victor, há dois anos, detalhou Vilotta.

Em entrevista, Dom Diamantino comemorou mais este momento significativo, que coroa com êxito o trabalho exaustivo de busca, e pesquisa que ouviu depoimentos de pessoas que conviveram com a Madre, mostrando a sua face de mulher virtuosa, através dos dados de sua vida e sua fama de santidade. “Para nós é motivo de alegria e de ação de graças, porque Deus realizou em Três Pontas estas maravilhas, de duas pessoas santas (Padre Victor e Nossa Mãe). Agora, que o caminho em Roma seja também leve, airoso, sem espinhos e atropelos e siga a sua caminhada com muita persistência coroado de bom êxito”, ressalta Diamantino.

Ele lembra que a fase mais difícil está para começar e os devotos tem participação em mais este processo em pontos fundamentais, a oração, comunicação e colaboração. Primeiro é necessário uma profunda devoção pois é preciso muita oração à Deus, para que se for da sua vontade para a glória Dele e honra da Igreja, que esta fiel servidora possa levada a honra dos altares.

Outro foco é a colaboração de quem recebeu graças. Os fiéis devem comunicar os milagres, implorado diante da intercessão de Nossa Mãe, principalmente se for extraordinário, às irmãs no Carmelo para que seja estudado a viabilidade de ser encaminhado ao Vaticano.

O terceiro é último ponto é a contribuição financeira com o processo, já que as despesas existem e são muitas.  São viagens, materiais e estudos que tem que serem pagos. Se necessário, o processo terá que ser traduzido e também é preciso contribuir com os teólogos que vão examinar de forma doutrinal o que há de bom, virtuoso e santo, o que demanda despesas.

O processo

A licença para a abertura do processo de beatificação de Nossa Mãe foi dada em 07 de julho de 2011 e aberto em março de 2012, durante sessão solene na Matriz Nossa Senhora d’Ajuda em 04 de março. Os restos mortais da Serva de Deus, que foram retirados do túmulo do cemitério no dia 26 de fevereiro, ficaram expostos para visitação na igreja, o que atraiu uma multidão formou filas para passar em frente a urna. Em seguida, uma celebração seguiu um ritual diferente das habituais: no final, os fiéis saíram em procissão até o Carmelo, onde os restos mortais foram colocados no túmulo e a capela inaugurada.

Nossa Mãe

Madre Tereza Margarida do Coração de Maria, cujo nome de batismo era Maria Luíza, nasceu em 24 de dezembro de 1915, em Borda da Mata. Ela ingressou na vida religiosa aos 22 anos, em Mogi das Cruzes (SP). Ao receber o hábito de noviça, ela recebeu o nome de Tereza Margarida do Coração de Maria. Ela emitiu os votos solenes em fevereiro de 1942. Madre Tereza fundou o Carmelo São José onde viveu durante 43 anos e ficou conhecida por todos como “Nossa Mãe”, pelos atos de caridade.

Na casa religiosa fundada por Madre Tereza e onde ela viveu a maior parte da vida, estão hospedadas diversas monjas vindas de diversos carmelos de Minas Gerais. Nossa Mãe, morreu em novembro de 2005, 40 dias antes de completar 90 anos.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X